Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/10/20 às 14h00 - Atualizado em 26/10/20 às 14h02

Treinamento aprimora o uso de aplicativo por servidores

COMPARTILHAR

Governo moderniza gestão com mais controle de solicitações e atendimento às demandas da população

 

A Segov reuniu 68 servidores de todas as RAs e da Novacap para uma aula sobre o e-Cidades, uma das funcionalidades mais importantes do e-Gov | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Os serviços das Administrações Regionais do DF já podem ser solicitados e acompanhados pela população de forma digital: no aplicativo e-Gov. Mas, para isso funcionar, é preciso treinamento. A Secretaria de Governo (Segov) reuniu 68 servidores de todas as RAs e da Novacap na semana passada para uma aula sobre o e-Cidades, uma das funcionalidades mais importantes do e-Gov.

Localizado dentro do aplicativo oficial do governo, essa ferramenta focada nas cidades faz a máquina do governo funcionar sem o cidadão deixar sua casa. Na tela do celular, ele deixa sua demanda – como a solicitação de reparo em buraco de sua rua. Pode deixar fotos, localização e acompanhar on-line o andamento de seu pleito.

Técnicos da Segov treinaram gerentes e vários servidores do setor de protocolo das administrações. Uma sessão bem conhecida nos órgãos públicos e normalmente cheia de filas, o protocolo recebe centenas de documentos e é a porta de entrada das demandas da população.

Em Ceilândia, por exemplo, tapa-buracos, poda de árvores, falha na iluminação pública são serviços muito requisitados, informa a servidora Zaira Zuren, 31. Há dois anos na administração, ela revela que adorou o aplicativo e que, agora, aprendeu a mexer nele com desenvoltura.

 

Zaira: “estou pronta para ensinar os moradores”| Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

 

 

“Estou pronta para ensinar os moradores. Já afixamos o cartaz na administração informando do e-Cidades e agora vamos reforçar o uso na hora do atendimento. A ideia é que a pessoa não precise mais voltar aqui e resolva tudo sem sair de casa”, adianta Zaira.

“Às vezes o cidadão quer um documento comprovando que esteve no órgão ou um carimbo de recebido. Com a tecnologia, você acompanha tudo na palma da mão, né?” , elogia a funcionária.

Mais praticidade e menos burocracia

Assessor especial do governo e um dos criadores do e-Cidades, Tadashi Mae lembrou que a pandemia do coronavírus trouxe essa oportunidade. Lançado em 30 de junho, época em que os protocolos não atendiam presencialmente, o e-Cidades veio para ficar, e vai crescendo. Já são quase 700 demandas registradas até o momento, especialmente de serviços de manutenção, limpeza e conservação. Quarenta e um por cento já atendidas e o restante em análise.

 

Tadashi: quase 700 demandas registradas até o momento | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

 

No treinamento, foi ensinado aos servidores todas as opções do e-Cidades e também o acesso rápido às demandas que ficam registradas em um sistema. Na tela, são oferecidos campos com as opções de serviços oferecidos pela coordenação das cidades. Além dos serviços de manutenção, o requerimento de documentos (alvarás, licenças de funcionamento) e pedidos de informação de documentos encabeçam a lista das demandas em maior número.