Governo do Distrito Federal
28/12/22 às 10h05 - Atualizado em 28/12/22 às 10h05

Projeto reúne dança, teatro e cinema para dar vida a experiências pessoais

Trabalhos são reproduzidos em oito webséries com interpretação de atores e bailarinos

Lúcio Flávio, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto

Um convite à pausa e reflexão sobre a condição do outro a partir da dramatização de relatos contundentes de pessoas de vários segmentos da sociedade e classes sociais é a proposta do projeto Fábrica de Pessoas, que acaba de estrear no  YouTube. Trata-se de um híbrido de cinema, teatro e dança em oito minisséries em formato web, viabilizadas graças ao incentivo de R$ 40 mil do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec).

As tramas mostram movimentos de personagens diversificados, todas com cenas em ambientes urbanos | Foto: Reprodução

É o resultado de amplo trabalho de pesquisa oral. Antes de ser disponibilizado nas redes sociais, o projeto Fábrica de Pessoas foi apresentado no Setor Comercial Sul e Taguapark, em  13 e 20 de outubro, respectivamente.

“Escolhemos pessoas com mais de 60 anos, profissionais autônomos, mães e pessoas LGBTQIA+ como foco”, explica o diretor do projeto, Ig Uractan. “Nosso objetivo é compartilhar sentimentos que são universais: histórias de separação, depressão, autoestima, amor, raiva, representatividade e superação.”

O elenco das tramas, que variam de quatro a pouco mais de dez minutos de duração, é composto em sua maioria por dançarinos. São eles que, com movimentos exuberantes, agitados, no palco ou em intervenções urbanas, dão vida a relatos cheios de dor, violências, sonhos, amor e superação.

“A partir dessas histórias, construímos pequenas narrativas cênicas com ensaio, com muita coreografia, explorando essas histórias, os sentimentos que conseguimos trazer juntos com essa pesquisa”, salienta o diretor.