Governo do Distrito Federal
16/12/21 às 18h59 - Atualizado em 16/12/21 às 19h05

Por mês, 500 toneladas de entulho recolhidas em Ceilândia

Equipes do GDF Presente reforçam ação de limpeza nas ruas da cidade. Administração faz campanha educativa para incentivar descarte regular

Ceilândia produz muito lixo da construção civil. De janeiro a novembro desse ano foram 77.576 toneladas de entulhos coletados de pontos irregulares na cidade, somente pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU). A administração, por sua vez, recolhe uma grande quantidade desse material diariamente. O volume recolhido chega a 500 toneladas mensais.

 

Restos de obras, madeiras e ferros são recolhidos de locais onde jamais poderiam ter sido depositados: em praças, becos, espaços próximos ao comércio e áreas verdes| Foto: GDF Presente

Todo mês, durante duas semanas, a administração local recebe um reforço de peso que ajuda a tornar Ceilândia mais limpa: as equipes do GDF Presente. O trabalho é intenso. E o apoio do Polo Oeste II é sempre bem-vindo. Afinal, restos de obras, madeiras e ferros são recolhidos de locais onde jamais poderiam ter sido depositados: em praças, becos, espaços próximos ao comércio e áreas verdes.

“Recolhemos 382 toneladas de entulhos somente no período de 29 de novembro a 10 de dezembro. Como o descarte irregular não é seletivo, às vezes tem inservíveis junto, como restos de móveis”, relata o coordenador do Polo Oeste II do GDF Presente, Elton Walcácer da Silva.

O administrador de Ceilândia, Fernando Fernandes, ressalta que o descarte irregular de entulho é um ato irresponsável. “O descarte irregular de entulho contribui também para que a cidade se torne suja e feia. Orientamos a comunidade para que o descarte seja feito de forma correta, alugando um container ou depositando o material em um dos três papa-entulhos que temos espalhados pela cidade”, explica Fernando Fernandes.

 

Todo mês, durante duas semanas, a administração local recebe um reforço de peso que ajuda a tornar Ceilândia mais limpa: as equipes do GDF Presente | Foto: GDF Presente

Investindo em educação

A administração de Ceilândia investe em informação e educação. Por isso mesmo, o órgão desenvolve campanha para que os moradores da cidade ajudem a manter a região mais limpa. “Fim do lixo irregular depende de conscientização da sociedade”, informa o material de divulgação.

Para a estudante de pedagogia Juliana Souza Nunes, 34 anos, muita gente em Ceilândia desconhece os locais oficiais de descarte de entulhos. “Há pessoas civilizadas e as que não se preocupam com a limpeza da cidade. Então, é importante que todos saibam exatamente onde são as áreas para a colocação de entulhos”, desabafou.

“Os funcionários da administração são como fiscais. O que eles veem de descarte irregular na cidade, nos comunicam para que possamos fazer o imediato recolhimento. Atendemos também, diariamente, as demandas feitas por meio da ouvidoria”, explica o gerente de condomínios da Administração Regional de Ceilândia, Sebastião Bezerra da Silva.

O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) remove entulhos em diversos pontos onde a população descarta irregularmente. De janeiro a novembro desse ano a empresa recolheu 555 mil toneladas em todo o DF.

O material vai para a Unidade de Recebimento de Entulhos (URE). No local, recebe também resíduos da construção civil (RCC) descartados por transportadores de entulhos. A URE recebe cerca de 4 mil toneladas de RCC por dia. Parte disso é reciclada na própria unidade.

“O SLU fez um acordo de cooperação técnica com o DF Legal para ajudar nessa fiscalização de descarte irregular. Agora, nossos servidores têm poder de constatação dessas infrações. Temos fiscais nas ruas diariamente, não só acompanhando os nossos trabalhos de limpeza, como também notificando quem descarta resíduos em área pública, prejudicando a limpeza urbana e o meio ambiente”, disse o diretor-presidente do SLU, Silvio Vieira.

Ele afirma ainda que a população de Ceilândia conta com três papa-entulhos instalados na cidade: na QNN 29, QNM 27 e outro na QNP 28.