Governo do Distrito Federal
14/03/22 às 12h36 - Atualizado em 14/03/22 às 12h36

Parque Bernardo Sayão vai ganhar reforma

Intervenções serão feitas com recursos de compensação ambiental, que ultrapassam R$ 4 milhões

O Instituto Brasília Ambiental promoverá, este ano, uma série de intervenções de melhorias no Parque Ecológico Bernardo Sayão, no Lago Sul, dentro do pacote de obras do Governo do Distrito Federal (GDF) voltado para os parques e unidades de conservação (UCs). Os recursos, originários de compensação ambiental das iniciativas pública e privada, somam R$ 4,1 milhões. O início das obras está previsto para o segundo semestre.

Segundo a titular da Superintendência de Unidades de Conservação, Água e Biodiversidade (Sucon), Rejane Pieratti, as intervenções são importantes na implementação da unidade, que é utilizada para trilhas, passagem de pedestres e ciclistas. “O parque foi planejado após um estudo de fauna, prevendo passagem de animais em alguns pontos”, explica. “No futuro, haverá instalação de guaritas, sede administrativa, banheiros e ciclovia”.

Primeira etapa dos trabalhos será a de cercamento do local | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

Do valor total dos recursos, o montante de R$ 1,9 milhão de compensação ambiental do Departamento de Estradas de Rodagens (DER) está destinado ao cercamento – primeira etapa da obra. Cerca de R$ 1,4 milhão, recurso originário de compensação ambiental de responsabilidade da empresa Orimi S.A, será para a construção da coopervia, de guaritas e banheiros. O início da reforma contará com recursos de R$ 734,3 mil, referentes à compensação a ser feita pela Incor Incorporadora.

Parceria

“Realizamos essa parceria com os órgãos de meio ambiente, como o Brasília Ambiental, fazendo, com as compensações ambientais, parte de todo esse processo de recuperação e melhorias dos parques”, ressalta o presidente do DER, Fauzi Nacfur Júnior. “É com grande prazer que somamos esforços com o instituto para manter o meio ambiente e melhorar a vida das pessoas.”

O Parque Distrital Bernardo Sayão, criado pelo Decreto nº 24.547, é um grande fragmento do cerrado inserido na matriz urbana. Os estudos do plano de manejo da unidade apresentaram uma diversidade singular e considerável sensibilidade ambiental para a área, que preserva importantes remanescentes de formações savânicas e campestres, além de conter as nascentes do Córrego Rasgado, abarcando um pequeno trecho de mata de galeria.

*Com informações do Brasília Ambiental

Agência Brasília* | Edição: Chico Neto