Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
24/04/24 às 13h56 - Atualizado em 24/04/24 às 13h56

Ouvidorias do GDF passam a oferecer atendimento em Libras

Programa visa garantir acessibilidade em todos os órgãos públicos do DF e beneficia comunidade com deficiência auditiva

Por Agência Brasília* | Edição: Débora Cronemberger

No Dia Nacional de Libras, celebrado nesta quarta-feira (24), as Ouvidorias do GDF passam a contar com uma nova ferramenta que vai facilitar o atendimento e a comunicação com pessoas surdas. O programa DF Libras, por meio de um QR Code próprio, disponibiliza a tradução em tempo real para a Língua Brasileira de Sinais (Libras) em todos os atendimentos presenciais realizados nas Ouvidorias. A iniciativa é resultado de parceria entre a Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF) e a Secretaria da Pessoa com Deficiência do DF (SEPD).

Para o controlador-geral do DF, Daniel Lima, esta é uma grande novidade para a comunidade surda do DF. “Com esta parceria essa parcela da população terá acesso a um atendimento inclusivo e adaptado à sua realidade”, anunciou o controlador-geral.

 

O DF Libras visa garantir acessibilidade em todos os órgãos públicos do DF, simplificando o processo de atendimento para a comunidade surda | Foto: Divulgação/CGDF

 

A ouvidora-geral do DF, Fernanda Oliveira, explicou como será o procedimento. “Teremos um QR Code nas ouvidorias, que acionará o DF Libras. Basta escanear o código durante o atendimento, que será iniciada uma chamada com um intérprete de Libras. Assim, o atendimento será, em tempo real e traduzido em Libras”, contou a ouvidora-geral.

O DF Libras foi lançado pelo Governo do Distrito Federal (GDF), em dezembro de 2023, com o objetivo de tornar mais fácil a comunicação para pessoas com deficiência auditiva. Agora, disponível na Rede de Ouvidorias do DF, os cidadãos surdos podem contar com tradutores de Libras para acessar os serviços públicos em qualquer horário todos os dias da semana sem dificuldades.

O objetivo do GDF é implementar o DF Libras em todos os seus órgãos, tornando os serviços governamentais mais acessíveis e inclusivos. Atualmente, cerca de 113 mil pessoas no DF têm algum tipo de deficiência, representando 3,8% da população local.

Além do DF Libras, a Rede de Ouvidorias do DF tem implementado novas ferramentas para tornar os serviços de controle social mais inclusivos. Desde março deste ano, a plataforma do Participa DF conta com melhorias que facilitam a utilização para pessoas com deficiência (PcD) visual que usam o programa NVDA (trata-se de um software para a leitura de tela, um programa em código aberto que vai “ler” o Windows para facilitar a inclusão digital de deficientes visuais).

 

Como funciona?

O programa utiliza a plataforma ICOM para conectar intérpretes de Libras em videochamadas ao vivo, permitindo a tradução entre o cidadão surdo e os servidores públicos. Essa iniciativa não só facilita a comunicação, mas também promove a inclusão, garantindo acesso igualitário aos serviços para toda a comunidade surda.

Utilizando um aplicativo disponível para download em diversas plataformas, os usuários podem se comunicar com os intérpretes em tempo real, eliminando as barreiras de comunicação. Isso significa que não é mais necessário marcar um horário antecipadamente para solicitar o atendimento especializado, como era no antigo procedimento.

O DF Libras oferece à comunidade surda o atendimento por meio de videochamadas em tempo real, com intermediação por intérpretes de Libras, todos os dias da semana, em qualquer horário. Para isso, basta que a pessoa com deficiência, previamente cadastrada junto ao GDF, realize o download do aplicativo, já disponível para diversas plataformas.

Outra opção é solicitar a intermediação do atendimento por um intérprete no órgão público pelo próprio servidor responsável pelo atendimento. Anteriormente, o usuário precisava agendar o serviço pela Central de Intermediação em Libras (CIL), presencialmente.

“É uma política pública de acessibilidade na área de comunicação. Estamos felizes em fazer essa parceria com a Ouvidoria justamente por este ser um órgão que oferece serviços de controle social. Isso significa que a comunidade surda, contando com mais essa ferramenta, poderá usufruir dos seus direitos como cidadãos. Logo mais, outras entidades públicas também participarão da implementação do DF Libras”, afirmou o secretário da Pessoa com Deficiência do DF, Flávio Pereira dos Santos.

Veja abaixo como acessar a plataforma.

Para atendimentos presenciais:

→ Ao chegar ao balcão de atendimento, o usuário surdo pode acessar a plataforma pela leitura do QR Code presente no cartaz ou adesivo do programa DF Libras ou pelo aplicativo do ICOM;
→ Acesse o aplicativo ICOM;
→ Dica: para não consumir seu pacote de dados de internet, opte por acionar a plataforma por meio do aplicativo do ICOM;
→ Clique no botão “DF Libras” ou faça a leitura do QR Code para ler um código nos cartazes ou adesivos;
→ Selecione “iniciar videochamada” e aguarde até ser atendido;
→ Ao ser atendido, se comunique normalmente que o intérprete irá traduzir a conversa em Libras;
→ Não se esqueça de deixar o celular na horizontal.

Para atendimentos nos canais digitais

→ O usuário surdo pode acessar a plataforma nos websites e aplicativo das secretarias do Distrito Federal ao clicar no botão “SAC Libras – Atendimento Online”;
→ Quando acionada, a plataforma abre uma videochamada em que o intérprete conversa com o surdo pelo vídeo, em Libras;
→ O intérprete, apoiado por um script de atendimento, irá ligar para os telefones permitidos pelas secretarias (como, por exemplo, 190) e irá traduzir para o servidor público, por telefone, as dúvidas e comentários do usuário surdo.

 

*Com informações da CGDF