Governo do Distrito Federal
6/12/22 às 16h31 - Atualizado em 6/12/22 às 16h31

Orquestra encerra temporada de 2022 com clássicos de Natal e do cinema

Últimos concertos do ano serão apresentados nesta terça (6) e nos dias 13 e 20, sempre às 20h, no Teatro Plínio Marcos, com entrada gratuita

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS) preparou uma programação especial para dezembro, reservando a última apresentação, no dia 20, para sucessos do cinema e temas natalinos. O grupo, gerido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), fecha 2022 com mais de 70 concertos, incluindo, depois da volta do público à plateia, duas óperas com a formação completa, apresentações nas regiões administrativas e realização de concertos didáticos para estudantes de escolas públicas.

“Conseguimos fazer uma ótima transição das restrições impostas pela pandemia para audições com presença do público. Começamos no Museu Nacional da República e estamos finalizando a temporada já com uma grande orquestra como a exigida pela Sinfonia nº 5 de Gustav Mahler”, sintetiza o maestro Cláudio Cohen.

Em 2023, a OSTNCS fará um novo ciclo Beethoven e também, segundo o regente, séries temáticas de compositores universais além do incremento das produções operísticas. “O Teatro Plinio Marcos, atual espaço de apresentações da Orquestra, permite muitas possibilidades de espetáculos”, justifica, em menção ao teatro localizado no Eixo Cultural Ibero-americano.

Repertório

Mendelssohn (1809-1847), Tchaikovsky (1840-1893) e Mahler (1860-1911) foram os compositores escolhidos para um recorte do período romântico na música clássica, começando nesta terça (6/12) com o Concerto nº 2 para Piano e Orquestra, de Mendelssohn, e a Sinfonia nº 5, de Tchaikovsky. Para essa apresentação, o solista convidado é o pianista Eduardo Monteiro, professor da Universidade de São Paulo, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com passagens pela Europa e Estados Unidos, onde estudou no New England Conservatory, de Boston.

” Mendelssohn escreveu dois concertos para piano e orquestra e os dois são muito brilhantes e deixam o solista aparecer de uma forma muito virtuosística. O autor tem uma escrita muito leve. Isso se reflete tanto em termos de textura como de caráter. Vale dizer que se trata de um concerto sem grandes dramas ou questões existenciais. É uma música muito alegre, contagiante e festiva”, explica o pianista.

No concerto do dia 13, com a obra de Gustav Mahler, dois musicistas da Orquestra são destaques: a harpista e o trompista. A musicista Cristina Carvalho fala sobre o protagonismo de seu instrumento.

“A participação da harpa no famoso adagietto [andamento mais lento] da 5ª Sinfonia de Mahler é talvez um dos maiores presentes que todo harpista de orquestra pode almejar nessa carreira. É uma peça relativamente simples em termos de notas, porém que requer uma maturidade musical e experiência de conjunto orquestral como poucas partes que conheço, em quase 30 anos nessa profissão, para ser executada da forma que a profundidade dessa música tão sublime impõe”, entusiasma-se.

O trompista Ellyas Lucas explica que Mahler demonstra “gostar bastante” das trompas. Em algumas composições, o compositor austríaco de origem judaica chega a utilizar dois corais de trompas, completando oito no total.

No caso da Sinfonia nº 5, que será executada na apresentação da OSTNCS, Ellyas aponta, no terceiro movimento, um scherzo [estilo ligeiro e brilhante]: “É uma valsa em que ele utiliza a trompa como instrumento solo. É um grande desafio, pois o compositor brinca com o caráter leve e dançante, que é interrompido por chamadas intensas, fortes e cheias de melancolia. Como trompista é algo muito desafiador alternar entre a leveza da valsa e a intensidade das chamadas em fortíssimo”.

Para encerrar a temporada, a Orquestra Sinfônica traz ao público do DF o concerto altamente popular Clássicos do cinema. No programa da última apresentação do ano, que acontece no dia 20, estão vinhetas e partes de trilhas sonoras de blockbusters da sétima arte, como Star Wars e Harry Potter, medleys de grandes sucessos das bandas Beatles e Queen, além de músicas de Natal, para a plateia seguir embalada para as festas de fim de ano.

Todos os concertos são gratuitos e abertos ao público de todas as idades.

Programação

6/12 – Concerto para Orquestra
Mendelssohn – Concerto nº 2 para Piano e Orquestra
Tchaikovsky – Sinfonia nº 5
Solista – Eduardo Monteiro – Piano
Maestro Cláudio Cohen

13/12 – Concerto para Orquestra
Gustav Mahler – Sinfonia nº 5
Maestro Cláudio Cohen

20/12 – Clássicos do Cinema
Encerramento da Temporada 2022
Clássicos do Cinema, medleys de Beatles e Queen e músicas de Natal
Maestro Cláudio Cohen

→ Entrada franca, sujeita à lotação do espaço
→ Local: Teatro Plínio Marcos, no Eixo Cultural Ibero-americano
→ Horário: 20h

*Com informações da Secec