Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/03/20 às 9h43 - Atualizado em 13/03/20 às 9h55

Operação conjunta recolhe carcaças em Taguatinga

COMPARTILHAR

Ação faz parte da campanha para eliminar focos do mosquito transmissor da dengue no Distrito Federal

 

GIZELLA RODRIGUES, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

Uma operação de vários órgãos do governo recolheu 15 carcaças de carros velhos abandonadas em área pública no Setor H Norte, em Taguatinga, na manhã desta quinta-feira (12). A operação faz parte dos esforços do GDF para eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya.

 

 

A ação de combate à dengue em Taguatinga foi realizada a pedido da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), que, no sábado (7), em parceria com o Corpo de Bombeiros, visitou casas na M Norte e nas quadras QNH para eliminar possíveis focos do mosquito. A quantidade de sucatas abandonadas no Setor H Norte chamou atenção dos agentes.

 

Na ocasião, foram identificadas 38 carcaças para serem retiradas. Os proprietários dos carros velhos não foram notificados porque a ideia era fazer uma operação surpresa e evitar que eles escondessem as sucatas e impedissem o recolhimento. Mesmo assim, muitos viram a movimentação dos fiscais e ocultaram as carcaças.

 

A retirada desse material das ruas é resultado de uma parceria entre a Administração Regional de Taguatinga, a Secretaria Executiva das Cidades e o Polo Oeste do GDF Presente, com apoio do DF Legal, do Detran e da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Segundo o coordenador do Polo Oeste, Elton Walcacer, é a terceira vez que o GDF faz a limpeza do local na gestão do governador Ibaneis Rocha. “Desde o SOS DF fazemos operação aqui, mas o pessoal esconde as carcaças e coloca nas ruas assim que deixamos o local”, relatou.

 

Área pública

A maior parte das sucatas retiradas do setor H Norte estava abandonada em uma área pública às margens da BR-070, que acabou se transformando em um lixão, pois os carroceiros se aproveitam para encher o local de entulho.  Segundo funcionários da Administração de Taguatinga, alguns donos de oficina do setor compram carros velhos e retiram as peças para revender. Com isso, deixam na rua o resto dos veículos, muitas vezes sem motor, janelas e bancos.

 

O problema é que as sucatas acumulam água, o que permite o crescimento das larvas do Aedes aegypti. “As carcaças dos carros acabam se tornando criadouros do mosquito da dengue e pontos de proliferação de larvas”, reforça o administrador de Taguatinga, Geraldo César de Araújo. O órgão recebeu 49 reclamações e denúncias de moradores na Ouvidoria.

 

Segundo o administrador, há três grandes focos de dengue na cidade: as quadras QNH – onde fica o setor H Norte–, QNJ – que concentram grande quantidade de lotes vazios – e as quadras da M Norte e da QNL, locais onde as casas costumam virar criadouros do mosquito. “Nossa intenção é eliminar os focos em Taguatinga”, disse Araújo. O Setor de Oficinas de Taguatinga Sul, informou ele, também está na rota dessa operação.

 

Leilão

O GDF deve lançar um decreto em que autoriza a Secretaria de Segurança Pública (SSP) a recolher todos os carros e carcaças de ferros-velhos localizados em área pública que estejam colocando a população em situação de risco. A meta é acelerar o recolhimento de cerca de mil veículos que, já catalogados e identificados, se encontram há anos em estado de abandono.

 

O governo deve abrir um prazo de 30 dias para que os proprietários possam reaver os bens apreendidos – caso contrário, os mesmos serão prensados e encaminhados a leilão público. As sucatas apreendidas nesta quinta-feira foram levadas para o depósito da administração, onde ficarão por 15 dias, prazo durante o qual os donos poderão recuperá-las caso apresentem documentos que comprovem a propriedade dos bens. Depois desse período, elas são encaminhadas ao depósito do Detran, onde serão leiloadas para empresas de reciclagem.