Governo do Distrito Federal
21/11/22 às 10h48 - Atualizado em 21/11/22 às 10h48

Novos viadutos e recuperação de vias do DF

Há previsão de obras na Octogonal, Jardim Botânico, Lago Sul e a restauração do pavimento entre o Balão do Recanto das Emas e o Balão do Periquito

Ian Ferraz, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger

Obras importantes para a mobilidade urbana, a construção de viadutos e a restauração de pavimentos em rodovias terão continuidade no segundo mandato do governador Ibaneis Rocha, assim como o projeto Caminho das Escolas, que leva asfaltamento a áreas rurais.

As informações foram confirmadas pelo presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER), Fauzi Nacfur Júnior, durante as reuniões da comissão de transição no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB).

“Temos novos complexos de viadutos que vamos atacar nos próximos anos, a exemplo do entroncamento ali da Octogonal com o SIA e a Epia, o viaduto da Ponte JK ali no Jardim Botânico e o que estamos licitando neste momento, que é o do balão da antiga Esaf”, explica Fauzi Nacfur Júnior.

 

Segunda gestão do atual governo vai priorizar obras para melhorar a mobilidade em áreas urbanas e rurais | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

Segundo o presidente do DER, o governador Ibaneis Rocha definirá a prioridade de cada obra, bem como a execução de acordo com o orçamento possível. Em outra frente, o governo vai atuar na restauração do pavimento, a exemplo da ligação entre o Recanto das Emas e o Balão do Periquito, na DF-001 – uma obra de aproximadamente R$ 9 milhões.

“A estrada entre o Balão do Recanto das Emas e o Periquito está totalmente deteriorada e precisa de uma recuperação. Ela já foi licitada, temos a empresa vencedora, e as obras começam nos próximos dias. A DF-220 é outro exemplo, lá na região de Brazlândia – uma ligação em que você tira veículos da passagem aqui por dentro do Plano Piloto e liga lá pela área da Radiobrás”, detalha o gestor.

Caminho das Escolas

Levar asfalto até instituições de ensino da rede pública localizadas na zona rural é o objetivo do Caminho das Escolas, projeto que será mantido na segunda gestão do atual governo.

“É um trabalho muito bacana, porque você mexe com uma população carente que precisa, onde as crianças vão a pé para as escolas, muitas vezes, engolindo poeira e pisando na lama. Quando você faz um projeto desses, dá dignidade para essas pessoas. O projeto vai continuar e temos várias escolas rurais para atender”, acrescenta Fauzi.

Até o fim deste ano, o Caminho das Escolas vai contabilizar cerca de 50 km de asfalto nas proximidades de instituições localizadas no Lamarão (Paranoá), Cariru (Paranoá), Jardim II (Paranoá), Sonhém de Cima (Sobradinho), Olhos d’Água (Taquari), Lobeiral (Sobradinho), Catingueiro (Sobradinho), Almécegas (Brazlândia), Córrego do Ouro (Fercal), Santa Helena (Sobradinho) e Altiplano Leste (Jardim Botânico/Paranoá).