Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
15/02/24 às 17h09 - Atualizado em 15/02/24 às 17h09

Mais dez carros de fumacê vão reforçar combate à dengue

Para maior eficácia do produto, população deve abrir portas e janelas quando o veículo passar; aplicações são feitas em áreas de maior incidência

Agência Brasília* | Edição: Débora Cronemberger

 

Para combater o mosquito Aedes aegypti, a Secretaria de Saúde (SES-DF) está intensificando a aplicação de inseticidas nas áreas de maior incidência do vetor responsável pela transmissão da dengue, chikungunya e zika vírus. Nesta quinta-feira (15), o Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) divulgou a contratação de mais dez caminhonetes equipadas para aplicação do fumacê, cada uma com motorista e operador habilitados.

 

Secretaria de Saúde contratou mais dez carros para aplicação de fumacê com motorista e operador, visando reforçar combate ao mosquito da dengue | Foto: Tony Winston/Agência Saúde-DF

De acordo com o subsecretário de Vigilância à Saúde da SES-DF, Fabiano dos Anjos, os novos veículos serão um apoio importante às medidas de controle do vetor, ajustadas conforme a incidência da doença em cada região. “Atualmente, a SES conta com 28 carros de fumacê, operados por 28 motoristas, dos quais dez são do Exército e 18 pertencem à SES. Esses profissionais têm trabalhado incansavelmente, de domingo a domingo, para eliminar o mosquito”, destaca.

A aplicação do inseticida é feita, geralmente, no início da noite ou ao amanhecer, porque são momentos com menor corrente de vento, quando a fêmea tem o hábito de estar fora das casas. “As pessoas têm de entender que o mosquito está nas residências e que o combate deve ser doméstico”, explica o subsecretário. Segundo ele, 75% dos focos estão dentro das moradias.

A Secretaria de Saúde também reforçou a quantidade de inseticida do fumacê, chegando a mais de oito mil litros do material. A contratação do material utilizado nos carros se soma ao trabalho de recolhimento de entulho nas ruas, visitas domiciliares de porta em porta e orientação de manejo de materiais inservíveis, além da checagem de descarte irregular de resíduos em residências e comércios. O objetivo é reduzir os criadouros de vetores transmissores de arboviroses na capital.

*Com informações da SES-DF