Governo do Distrito Federal
3/12/22 às 9h12 - Atualizado em 3/12/22 às 9h12

Governo quer expandir parques como o que homenageia Maria Cláudia Del’Isola

Localizado na Asa Sul, espaço foi entregue nesta sexta-feira (2), durante cerimônia marcada pela emoção de familiares e amigos

Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto

A inauguração do Parque Maria Cláudia Siqueira Del’Isola, na EQS 112/113 Sul, foi marcada por emoção e amor. O espaço público, que homenageia a estudante de psicologia e pedagogia brutalmente assassinada em 2004, foi transformado pelo Governo do Distrito Federal, e a sua estrutura deve ser replicada em outras regiões administrativas.

 

A educadora Cristina Del’Isola, mãe de Maria Cláudia, que dá nome ao parque, agradeceu “o empenho e perseverança de tantas pessoas em transformar o que foi dor e escuridão em luz e esperança” | Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

Nesta sexta-feira (2), o momento foi para familiares e amigos prestarem homenagens a Maria Cláudia. O parque, uma espécie de memorial, recebeu investimento de R$ 2,3 milhões, teve as quadras poliesportivas renovadas e ganhou novos ambientes, como pista de corrida, anfiteatro, bancos, áreas de lazer, pergolados, parquinho infantil, parcão e paisagismo. Tudo marcado por muito afeto, com o objetivo de tornar o local mais um espaço de convivência entre a comunidade.

Mãe de Maria Cláudia, a educadora Cristina Del’Isola agradeceu o empenho coletivo para que o parque recebesse o nome da filha. Foram anos de luta, tendo sido necessária a aprovação de uma lei, em 2018. Anos depois, o objetivo foi alcançado. “O Movimento Maria Cláudia pela Paz tem gratidão pelo empenho e perseverança de tantas pessoas em transformar o que foi dor e escuridão em luz e esperança”, disse Cristina. “Um espaço como esse vai proporcionar bem-estar nas mais diversas dimensões, na saúde física e mental. É um local aprazível, onde você sente uma energia maravilhosa.”

 

Mais do que uma praça

O diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite, disse que a diversidade de atividades e o tamanho fazem o local ser mais do que uma praça – por isso, tem status de parque. “É difícil uma praça com essa área, são praticamente 15 mil m²”, considerou. “É para que as pessoas venham praticar esportes, fazer música. Aqui você tem todos os equipamentos públicos, e queremos multiplicar esses espaços em todo o DF, especialmente em comunidades onde não há essa oportunidade.”

Na visão do secretário de Governo, José Humberto Pires de Araújo, o parque representa um marco: “Quando eu digo que é um momento histórico, é porque aqui vai ficar eternizado com o nome dessa jovem. Certamente vai inspirar muitos de nós a cultivar a paz. É um parque e memorial dedicado a uma pessoa que partiu, mas que está aqui presente com sua história”.