Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
14/03/24 às 17h39 - Atualizado em 14/03/24 às 17h39

GDF e Marinha iniciam parceria de combate à dengue por Arniqueira

Mais de 100 fuzileiros navais realizaram o trabalho de vistoria e conscientização em parceria com os agentes do governo

Por Thaís Miranda, da Agência Brasília | Edição: Carolina Caraballo

 

A região administrativa de Arniqueira foi a primeira a receber o reforço dos militares da Marinha do Brasil no combate à dengue. A atuação inédita do Comando do 7º Distrito Naval começou na manhã desta quarta-feira (13) e seguirá até o fim do dia para dar apoio em segurança e logística ao trabalho que já é desenvolvido diariamente pelos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF). Ao todo, são mais de 100 fuzileiros que chegaram para intensificar as ações contra o Aedes aegypti na cidade.

Militares atuam junto aos servidores da vigilância ambiental visitando comércios e residências | Fotos: Lucio Bernardo Jr./ Agência Brasília

Os trabalhos estão concentrados no Areal, Setor Habitacional Arniqueira (SHA) e Área de Desenvolvimento Econômico (ADE). Os militares atuam em duplas junto aos servidores da vigilância ambiental visitando comércios e residências para identificar e eliminar o mosquito transmissor da dengue, além de orientar os cidadãos sobre a prática correta de combate à doença.

“O mutirão de zeladoria envolve o SLU, a Novacap, o GDF Presente e equipe da própria administração regional para agirem juntos na retirada de lixo, entulho e inservíveis em pontos críticos. É uma ação que o GDF tem realizado nas regiões administrativas, com equipes reforçadas e, hoje, com a importante participação da Marinha para nos dar apoio nas ações de combate à dengue”, afirmou o secretário-executivo das Cidades, Cláudio Trinchão.

De acordo com o capitão de corveta e fuzileiro naval da Marinha do Brasil, Thiago Zaniboni, os militares passaram por uma capacitação antes de atuarem nas ações contra o mosquito. “Eles fizeram treinamento teórico e prático na última terça-feira [12], e hoje pela manhã aprenderam como preencher as planilhas. A ideia é que a gente avalie como será o dia de hoje e, daqui a algumas semanas, retornemos para verificar se realmente houve queda nos índices da doença”, pontuou Zaniboni.

Segundo o fuzileiro naval Thiago Zaniboni, os militares passaram por capacitação antes de atuarem nas ações contra o mosquito

Foram priorizadas as quadras QS 6, 8 e 11 do Areal, que são áreas onde houve aumento considerável nos casos de dengue. A participação ativa da população, por meio de denúncias, também colaborou na atuação assertiva dos agentes em pontos com possíveis focos do mosquito.

“O contato que a população tem conosco é o que nos guia. Por meio das denúncias, a gente consegue ter uma visão mais ampla de locais onde está tendo proliferação do Aedes aegypti. Nós estamos atuando diariamente e, hoje, com uma ação ainda maior em parceria com a Marinha do Brasil para fazer esse pente-fino aqui no Areal”, detalhou a chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental da região, Herica Marques.

A ação conjunta priorizou as quadras QS 6, 8 e 11 do Areal, onde houve aumento considerável nos casos de dengue

Na outra ponta da atividade, a população reconhece o serviço realizado pelos agentes. É o caso da técnica de enfermagem Juciquele Carmo, 33 anos, que disse ficar aliviada em ver a atuação coordenada dos órgãos na rua onde mora. “Eu tive dengue há duas semanas, meus filhos também pegaram. Fiquei muito ruim, sem trabalhar. É importante que eles estejam aqui conosco, vendo tudo que está acontecendo e tomando atitudes. Se baterem na minha porta, eu com certeza vou abrir”, garantiu.

O trabalho também foi elogiado pelo segurança Sérgio Adriano, 54. Para ele, é inédita a ação envolvendo tantos órgãos no Areal. “Aqui estava precisando de algo assim. A gente está com medo. É a primeira vez que vejo tanta gente, tanto órgão aqui na região. Isso é excelente. Quanto mais agentes, melhor para nossa comunidade”, elogiou.

A administradora regional de Arniqueira, Telma Rufino, informa que as ações seguirão pelos próximos dias. “Aqui nós temos diversos órgãos de governo e mais 100 militares da Marinha para ajudar a conscientizar a população, visitando as casas e ensinando os moradores”, reforçou.