Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
7/02/24 às 13h59 - Atualizado em 7/02/24 às 13h59

Fábrica Social ganha 100 novos equipamentos para início do ano letivo

Entrega simbólica ocorreu na manhã desta quarta-feira (7) durante a aula inaugural que marcou o começo da capacitação profissional para 600 alunos

Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

 

Mais um ano letivo começa na Fábrica Social, o projeto de capacitação profissional do Governo do Distrito Federal (GDF) que forma pessoas em situação de vulnerabilidade social no segmento têxtil ao mesmo tempo em que confecciona itens para os órgãos do governo. Neste semestre, o programa volta com novos equipamentos e uma estrutura reformada. Ao todo, 100 máquinas foram adquiridas com recursos de emenda parlamentar para serem usadas pelos 600 alunos deste ano e todo o espaço foi restaurado pelos aprendizes do RenovaDF.

 

Durante a solenidade de aula inaugural na sede do programa, na Cidade do Automóvel, o governador Ibaneis Rocha anunciou a ampliação da Fábrica Social para mais dois polos no Distrito Federal, para atender as regiões administrativas de Ceilândia e Planaltina | Fotos: Renato Alves/Agência Brasília 

Os equipamentos foram entregues simbolicamente na manhã desta quarta-feira (7) pelo governador Ibaneis Rocha durante a aula inaugural do curso de Corte e Costura Industrial na sede do programa, na Cidade do Automóvel. Na oportunidade, também foram concedidos mil lençóis para as unidades hospitalares da Secretaria de Saúde e mil uniformes para os servidores de quatro administrações regionais: Taguatinga, Sol Nascente, Ceilândia e Samambaia, todos de autoria dos alunos da Fábrica Social do ano anterior.

“Estamos fazendo um belo trabalho na parte de qualificação profissional aqui no Distrito Federal. Recentemente fomos premiados pelo RenovaDF e, certamente, esse projeto da Fábrica Social merece, sim, e será ampliado para pelo menos mais dois polos aqui no DF, atendendo Ceilândia e Planaltina”, anunciou Ibaneis Rocha. Há a previsão de lançamento de uma unidade de pré-moldados no Complexo Penitenciário da Papuda no primeiro semestre e até o final do ano em Ceilândia.

O governador também destacou a oportunidade para os novos alunos do projeto. “A Fábrica Social está toda reformada e bonita para atender a todos vocês e, daqui para frente, após essa qualificação, é partir para o emprego, seja no empreendedorismo para que possamos ajudar vocês, seja na melhora da qualidade de vida de suas famílias, que é com certeza o que cada um de vocês quer”, completou o governador.

Este ano, a expectativa é de que a Fábrica Social possa confeccionar mais 60 mil lençóis para a Secretaria de Saúde por meio de um termo de cooperação técnica. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Thales Mendes, a fabricação vai gerar um impacto de R$ 30 milhões de economia aos cofres públicos.

Os alunos do projeto de capacitação profissional do GDF estudam por um ano seis módulos da área têxtil. Todos recebem um kit com uniforme e apostila, além de terem acesso a um lanche diário no período do curso, auxílio financeiro de R$ 304 e vale-transporte

“Vamos começar com os lençóis, passar para os cobertores e, depois, para os travesseiros até a toda a parte de enxoval utilizado pelos técnicos de enfermagem, médicos e assistentes. A nossa ideia é fabricar tudo aqui na Fábrica Social”, revelou o titular da pasta.

Oportunidade de qualificação

Durante o curso, os alunos estudam por um ano seis módulos da área têxtil, com aulas em malharia, costura, bordado e serigrafia. Todos recebem um kit com uniforme e apostila, além de terem acesso a um lanche diário no período do curso, auxílio financeiro de R$ 304 e vale-transporte.

“Na medida em que eles vão se profissionalizando, vamos influenciando no processo de empreendedorismo. Este ano eles poderão financiar até as máquinas para montar o próprio negócio”, destacou Thales Mendes. “A nossa palavra de ordem, como sempre, é a oportunidade para as pessoas crescerem e serem protagonistas da própria história para terem condições de tocar a sua própria família com o seu esforço”, acrescentou.

Filha de costureira, Sandra Pereira, 53 anos, é uma das novas alunas. Atualmente desempregada, a moradora de Samambaia vê na antiga profissão da mãe a oportunidade de reinserção profissional. “Estou com muita expectativa, porque é um curso bom e quero entrar no mercado de trabalho. Quero aprender a costurar igual a ela”, contou.

Sandra também destacou o fato do curso ser ofertado pelo governo de forma gratuita e com benefícios. “Hoje em dia, com esse desemprego que tá tendo, é uma oportunidade de aprender uma profissão e, com certeza, ir para frente”, analisou.

Outra aluna nova da Fábrica Social, Janice Mendes também carregava o sonho de aprender a costurar. “Essa foi uma boa oportunidade. Graças a Deus fui selecionada e estou aqui”, disse. “Acho que costurar vai me dar uma oportunidade de ter uma profissão e garantir emprego e renda”, completou.