Governo do Distrito Federal
23/03/22 às 9h50 - Atualizado em 23/03/22 às 9h50

Estudantes plantam árvores no Parque de Águas Claras

Participaram da ação 55 alunos e integrantes do Instituto Voluntários do Parque de Águas Claras

Estudantes do primeiro ano do Ensino Médio do Centro Educacional 4 do Guará participaram nesta terça-feira (22) – Dia Mundial da Água – do plantio de 50 mudas nativas no Parque Ecológico de Águas Claras. O evento contou com a presença do secretário do Meio Ambiente do Distrito Federal, Sarney Filho.

A ação faz parte do Projeto CITinova de desenvolvimento urbano sustentável e tecnologias inovadoras, executado pela Secretaria do Meio Ambiente do DF | Foto: Brasília Ambiental

“Cada vez mais, o mundo precisa se conscientizar de que as mudanças climáticas vieram para ficar. Então, não devemos apenas evitar as emissões de gases de efeito estufa, mas fazer adaptações”, disse o secretário. “Plantar árvores significa, hoje, plantar água. É por isso que estamos fazendo este evento com os jovens. O futuro pertence a eles”.

A ação faz parte do Projeto CITinova de desenvolvimento urbano sustentável e tecnologias inovadoras, executado pela Secretaria do Meio Ambiente do DF. Participaram 55 alunos e integrantes do Instituto Voluntários do Parque de Águas Claras.

“Aqui tem uma concentração muito grande de prédios e poucas árvores. O plantio de novas árvores ajuda no clima e até mesmo no córrego que passa aqui e faz parte da Bacia do Paranoá”, afirmou a estudante Letícia Lorraine Maia, de 15 anos. Já Maria Clara Vieira, 16, destacou o significado do plantio para ela: “Esta árvore aqui vai ajudar muitas pessoas no futuro”.

Os alunos também assistiram à palestra Recuperação de Nascentes e Áreas de Preservação Permanente, abordando a manutenção, monitoramento e custos. A atividade fez parte da disciplina de Educação Ambiental e o plantio serviu de aula prática.

Secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho: “Plantar árvores significa, hoje, plantar água”| Foto: Brasília Ambiental

“Foi maravilhoso”, disse o professor Roberto Rodrigues Luciano, que acompanhou a turma. “Nós, professores, ficamos muito em sala de aula, envolvidos com a burocracia. Então, quando temos uma oportunidade como esta, de vir a campo, acrescenta muito”, contou.

O Instituto Brasília Ambiental, responsável pela gestão do parque, também estava presente, representado pela superintendente de Unidades de Conservação do DF, Rejane Pieratti.

O CITinova é um projeto multilateral executado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Os recursos são do Global Environment Facility (GEF), com implementação a cargo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). A execução no DF se dá por meio da Sema, em parceria com o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE).

*Com informações do Instituto Brasília Ambiental

Agência Brasília* | Edição: Renata Lu