Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/05/20 às 16h59 - Atualizado em 27/05/20 às 16h59

Escolas de Taguatinga passam por mutirão de revitalização

COMPARTILHAR

Nove de 13 instituições da região administrativa, do ensino básico ao médio, passam por manutenções e reparos intensos, com obras em processo de finalização

 

As largas vias da nossa capital e os monumentais prédios que a cidade abriga, a beleza das pirâmides do Egito e da Torre de Pisa, passando pela magia das cores da festa do bumba-meu-boi do Maranhão – que chegou em Brasília pelas mãos de Seu Teodoro Freire (1920 – 2012) -, até chegar ao talento do Rei Pelé no futebol, além de de signos religiosos. Esses são os temas em mais de 30 telas pintadas pelos alunos do Centro Educacional 06 de Taguatinga, que passa por uma reforma desde fevereiro deste ano.

 

As decorações lúdicas da garotada, pintadas em telas de concreto, dialogam em harmonia e colorido com a nova estrutura da escola que ganhou um estacionamento, todo em cimento liso, além de jardineiras de alvenaria e canaletas e grelhas de águas pluviais que estão prestes a ser finalizados até o fim deste mês.

 

Entre as 21 salas que abrigam mais de 1.600 alunos do Ensino Fundamental e Médio, pedreiros dão os últimos retoques no chão de granitina, mas bonito e resistente que as antigas calçadas de cimento. Nos próximos dias, a instituição deve receber 120 carteiras novinhas. “Esse trabalho com os estudantes acontece há quatro anos e faz parte do nosso projeto de arte”, conta o diretor da escola, Rodrigo Silveira, há nove anos no cargo. “Todo ano, com a renovação da turma, novas pinturas vão surgindo, embelezando o espaço”, diz o gestor.

 

Inaugurada em 1974, o CED 06 passava por essas necessidades fazia tempo, mas graças ao contrato de manutenção do GDF, repassado para 13 escolas de Taguatinga pela Secretaria de Educação, as demandas foram atendidas. Uma segunda parte das reivindicações deve vir por emenda parlamentar, acredita Rodrigo Silveira, que tem a mesma idade da instituição. “É um espaço que merece muito, a escola é o princípio de tudo, por isso estamos deixando tudo arrumado para receber os alunos e a comunidade”, observa. “Ainda temos algumas reivindicações, como a cobertura das quadras, que estamos tentando viabilizar junto com a Câmara Legislativa”, diz, esperançoso.

 

Segundo o coordenador regional de Ensino de Taguatinga e outras três regiões administrativas da região – Águas Claras, Vicente Pires e Arniqueira -, Juscelino Nunes de Carvalho, os trabalhos de reforma e manutenção estão sendo intensos em nove das 13 escolas dessa que é uma das primeiras regiões administrativas do DF. Nas Escolas Classes 27, 42, 46 e 53, os principais serviços envolvem a parte elétrica das instituições, com quadros de distribuição, luminárias, tomadas e interruptores nas salas de aulas e repartições administrativas novos. “Há muito tempo que o grupo cobrava os recursos que vieram e são bem-vindos, agora as obras estão acontecendo, a comunidade está feliz”, constata.

 

Nos Centros de Ensino Educacionais, 04 e 07, os trabalhos mais essenciais, como manutenção hidráulica e do forro, estão a pleno vapor. No Centro de Ensino Fundamental 12, a novidade foi uma pintura renovada nas estruturas metálicas, enquanto que, na CEF 17, além dos reparos na parte hidráulica e elétrica, a escola ganhou novo piso de granitina em todo o bloco administrativo. Na entrada, recebeu acesso para pessoas portadoras de necessidades especiais. “Tinha uma mãe que cobrava muito a acessibilidade e quando ela viu a entrada com pisos planos, gostou”, revela Juscelino Nunes.

 

Passeio das araras

No Centro de Ensino Médio 03, pessoas com dificuldades de locomoção também foram privilegiadas com a execução de vagas no estacionamento. Já na Escola Classe 15, o diretor Edson José Alves conta que a substituição do piso de cerâmica das salas de aulas, corredores e pátios, pelo chão de granitina, vai evitar escorregões e menos trabalho na limpeza. “Não é só mais fácil de limpar, como gasta menos material”, avalia. “Muito importante a revitalização da escola, quando os professores ficaram sabendo que as salas estavam pintadas, ficaram mais animados”, revela.

 

Com capacidade para receber cerca de 250 crianças, o Centro de Educação Infantil 05 atende a comunidade há mais de 40 anos. A última reforma que o espaço havia recebido foi no início dos anos 90. Daí a importância de obras significativas no local, como o piso restaurado do amplo pátio da escola, onde as crianças não apenas cantam, brincam e estudam ao ar livre, mas, também, podem apreciar o voo de araras que flanam o céu da pequena, mas charmosa instituição. Ah, e ainda nesta semana o telhado da cantina deve ficar pronto.

 

Lúcio Flávio, da Agência Brasília | Edição: Freddy Charlson