Governo do Distrito Federal
1/11/22 às 9h52 - Atualizado em 1/11/22 às 9h52

Dezessete creches entregues ou em construção vão atender 2,5 mil alunos

Investimento é superior a R$ 58 milhões e as nove unidades em construção vão receber alunos de sete cidades

Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

A construção de creches na rede pública do Distrito Federal vai beneficiar cerca de 2,5 mil alunos e ampliar a oferta de ensino. Esse número corresponde à soma das oito unidades entregues entre 2019 e 2022 e das nove que estão em obras, com previsão de entrega para o próximo ano.

O investimento supera os R$ 58 milhões. Números superlativos que se traduzem em 146 novas salas de aula, sendo 61 já em funcionamento, e capacidade para atender 2.488 alunos, destes 890 das creches em funcionamento.

“Entregamos oito creches no primeiro mandato e vamos concluir mais unidades nos próximos quatro anos. A educação básica é a porta de entrada dos alunos e, por isso, as creches são tão importantes para que os pais e responsáveis, principalmente as mães, deixem seus filhos para estudar e possam trabalhar tranquilamente”, afirma o governador Ibaneis Rocha.

Construção do Centro de Educação da Primeira Infância (Cepi) em Ceilândia | Foto: Mary Leal / Secretaria de Educação

Samambaia com quatro unidades, Gama com três e Ceilândia e Recanto das Emas com duas são as principais cidades atendidas. Entre as que estão em construção, há também unidades em Planaltina, Santa Maria, Plano Piloto e Estrutural.

Algumas dessas unidades vêm com uma espécie de “carimbo” especial. Foi na gestão Ibaneis Rocha que o DF ganhou sua primeira creche rural, localizada no Núcleo Rural Jardim, no Paranoá. Por lá, as obras foram concluídas no início de outubro. O espaço é capaz de atender até 60 crianças em dois turnos e foi concebido em conjunto com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF) e a Secretaria de Educação. Outra unidade que saiu do papel neste governo foi a primeira creche do Sol Nascente/Pôr do Sol, onde os alunos são atendidos em regime integral.

“A ampliação das turmas de 0 a 3 anos na rede pública é uma necessidade urgente, tendo em vista a demanda das famílias que precisam deixar seus filhos em instituições que desenvolvam um trabalho educacional de qualidade, ofereçam o efetivo cuidado às crianças e, dessa forma, possam realizar suas atividades diárias, estar em seus empregos, com tranquilidade”, acrescenta a chefe da Unidade de Gestão Articuladora da Educação Básica da Subsecretaria de Educação Básica, Iêdes Soares Braga.

 

Arte: Agência Brasília

Cartão Creche

Além das unidades entregues ou em obras, a Secretaria de Educação lançou, em 2021, o programa Cartão Creche, por meio do qual os pais recebem um valor para pagar a mensalidade nas instituições credenciadas.

No primeiro ano do programa foram aplicados R$ 20,6 milhões e beneficiados 4.521 alunos, enquanto R$ 24,3 milhões foram aplicados em 2022 até agosto e atendidos 4.964 alunos.

Com a construção de novas creches e o pagamento do benefício a pais de alunos, o GDF tem conseguido diminuir a busca por uma vaga nessas unidades. Atualmente, mais de 24 mil alunos são atendidos.