Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/02/21 às 16h49 - Atualizado em 9/02/21 às 16h57

Depois de 25 anos, calçamento chega à porta de casa

COMPARTILHAR

Governo recapeou o asfalto das vias da QS 5 de Taguatinga e agora constrói calçadas de bloquetes de concreto, mais resistentes e econômicas

 

Calçadas eliminam os problemas causados por acúmulo de água de chuva e elimina o “poeirão” / Foto: Tony Oliveira / Agência Brasília

 

Por 25 anos, os moradores da Rua 810 da QS 5 de Taguatinga Sul sofreram com lama e poeira na porta de casa. Realidade que está mudando porque o Governo do Distrito Federal (GDF) constrói um calçamento com bloquetes para facilitar a vida da comunidade. O material é de concreto, mais resistente e econômico.

 

“Sempre foi muito difícil. Como era chão de terra, os carros ficavam sujos, sujava a casa inteira. Na seca, era só o poeirão. Estou feliz demais de finalmente termos sido vistos e receber isso na porta de casa”, comemora Nicácio Martins, de 76 anos. O vendedor de frutas é um dos moradores da Rua, que tem 84 metros de extensão e 3,3 metros de largura.

 

Nicácio comemora o calçamento em frente de sua residência / Foto: Tony Oliveira

Dono de um prédio naquela via pública, o comerciante Guilherme Neto confirma que a situação dificultava o acesso de clientes e fornecedores. “Não tinha acessibilidade, era sempre um problema. Sempre desejamos que isso fosse feito. Agora está ficando bom, estamos gostando”, afirma.

 

Cereja do bolo

São 270 metros de blocos de concreto formando a passagem ali. A obra gera cerca de 50 postos de trabalho, entre mão de obra direta e de reeducandos da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap). O material usado para o local foi adquirido com emenda parlamentar destinada pelo deputado distrital Reginaldo Veras.

 

Bispo Renato Andrade, administrador regional de Taguatinga (/ Foto: Tony Oliveira / Agência Brasília

“Toda a QS 5 foi recapeada. Esta é a cereja do bolo para a comunidade, após 25 anos de reivindicações”, festeja o administrador regional de Taguatinga, Bispo Renato Andrade. ”É um trecho pequeno, mas que faz muita diferença para quem vive e passa por aqui. Resolvemos fazer esse serviço para resolver a situação do barro em frente a casa, o que é obrigação do Estado”, pontua.

 

Engenheiro da Administração Regional de Taguatinga, Philipe Herrera explica que a regional tem usado bloquetes em várias obras da cidade desde o ano passado. “Temos um corpo técnico especializado. O material pode ser usado para pavimentação de estacionamento e elaboração de calçadas. É um tipo de pavimento resistente e durável, que não impermeabiliza totalmente o solo, então não impede o escoamento”, conta.

 

Fim de transtorno histórico
Na entrequadra da QSE 6/8, os bloquetes acabaram com um transtorno histórico: o fluxo de carros em local irregular, levando insegurança para frequentadores da praça no local.

 

“Era o caos total”, lembra o morador Zanato Araújo, de 46 anos. Ele também é comerciante local e acompanhou de perto a obra entregue. “Foram 21 anos pedindo, por favor, que resolvessem nosso problema, mas ninguém vinha e fazia. Além dos carros passarem pela praça cheia de crianças, havia acúmulo de água que chegava a alagar as residências. Ficou muito bom, estamos radiantes”, resume.

 

Na cidade, há novas vagas para veículos e passagens para pedestres em pontos como a CSA 2/3, a CSA 2, a CSA 3, a QSA 23/25, a CNF 1, a CNC 1, o Centro de Educação Infantil 03 da M Norte, o Centro de Ensino Fundamental 12 de Taguatinga (CEF 12), o Centro Educacional 07 de Taguatinga (CED 07).

 

JÉSSICA ANTUNES, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: ABNOR GONDIM