Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/03/20 às 17h40 - Atualizado em 27/03/20 às 17h40

Ceasa faz campanha para estimular venda por “delivery” de pequenos produtores

COMPARTILHAR

Com fechamento de feiras, empresa divulga perfis que fazem entrega de hortifrútis em casa

 

As Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) lançaram uma campanha em suas redes sociais para promover e divulgar a entrega produtos de hortifrúti em domicílio. Com a suspensão temporária das feiras livres como medida preventiva à proliferação do coronavírus, produtores rurais, principalmente os da agricultura familiar, sentiram o impacto nas vendas e no escoamento dos seus produtos, readaptando a prática de atendimento presencial nas barracas pelo “delivery”.

A mudança na última semana causou um impacto tanto na comercialização como no modo de atendimento, o que exigiu dos agricultores a reinvenção na operacionalização das vendas. Foi então que a direção da Ceasa, aberta aos produtores, mas fechada ao consumidor do varejo (pequenas quantidades) desde 19 de março, decidiu lançar uma campanha e divulgar em suas plataformas digitais (Instagram e Facebook).

“Pensando no impacto financeiro, a Ceasa-DF se solidariza com todos os integrantes da cadeia alimentar que comercializam na nossa central e os chama para marcarem a empresa (@ceasadf) em suas publicações nas redes sociais. É uma forma de manter a economia girando, a população sendo abastecida e os nossos produtores em atividade”, explica o presidente da Ceasa-DF, Onélio Teles.

A Ceasa conta com cerca de 160 varejistas que vendem, em sua maioria, frutas, legumes e verduras, e em menor escala pães, bolos, embutidos, castanhas e laticínios, entre outros produtos. Já no mercado da agricultura familiar predominam os hortifrútis orgânicos expostos por 60 produtores, representados por 28 associações.

Suporte

Os pequenos agricultores sentiram dificuldades na nova dinâmica de comercialização. Desabituados a receberem pedidos em massa e fazer poucas entregas, se viram diante de um embaraço no atendimento, inclusive para cumprir as normas de higienização e desinfecção das embalagens e produtos.

Diante disso, a Agro-orgânica, que reúne 33 produtores, se associou a um banco social privado para organizar a logística de atendimento e dar suporte aos seus associados no atendimento em delivery. Por meio do site agroorganica.com.br, moradores de 13 regiões de Brasília poderão fazer pedidos e recebê-los em casa às terças, quintas e sábados. A operação começa a valer neste sábado (28) e deverá se estender a outras regiões nas próximas semanas.

“Nós acatamos, respeitamos e apoiamos as medidas acertadas do GDF e estamos nos adaptando a essa realidade de reclusão das pessoas em casa sem deixar de dar suporte às duas pontas da cadeia: os produtores e consumidores”, informa o diretor-presidente da cooperativa, Josecler Moreira.

Atacado normal

Vale lembrar que somente a comercialização a varejo está suspensa. As vendas no atacado, em caixas e sacos fechados, em grande quantidade, estão funcionando normalmente – tanto no Mercado Livre do Produtor, que são as bancas expostas no galpão da Ceasa, às segundas e quintas-feiras, das 4h às 12h, quanto nos boxes, de segunda a sábado.