Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/03/21 às 9h32 - Atualizado em 17/03/21 às 9h33

Brasiliense mantém respeito ao toque de recolher

COMPARTILHAR

Força-tarefa continua vistoriando todo o DF, com foco em estabelecimentos comerciais e fiscalização de medidas previstas em decretos anteriores

 

Militares do Corpo de Bombeiros fizeram 23 operações de fiscalização e combate à covid-19. Em nenhuma delas foi constatada situação de descumprimento às medidas de suspensão vigentes | Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

 

“As equipes do Corpo de Bombeiros continuam fazendo as rondas entre 22h e 5h. E, em todas as regiões, o cenário é bem homogêneo. Encontramos ruas desertas e a população respeitando o toque de recolher. Após as 22h ainda é possível ver trabalhadores retornando às suas residências. A corporação continuará atuando de maneira preventiva e com orientações com o objetivo de manter as diretrizes sanitárias do GDF em vigor.”

 

As informações prestadas pelo tenente-coronel Deusdete Vieira, responsável pelo Comando Especializado do CBMDF ressaltam o fato de os brasilienses estarem, em sua maior parte, respeitando o toque de recolher e as medidas para dar cumprimento ao decreto que suspende a circulação de pessoas nesse horário – exceto situações permitidas como retorno para residência e compra de medicação. A força-tarefa da Operação Toque de Recolher realizou, nessa segunda-feira (15) o total de 14.598 vistorias em estabelecimentos comerciais. A ação inclui, também, a fiscalização de medidas previstas em decretos anteriores, como a suspensão de atividades não essenciais.

 

Para corroborar as palavras do tenente-coronel Deusdete Vieira, é importante ressaltar que, por exemplo, ninguém relacionado a quiosques foi multado por descumprir o toque de recolher ou ter se recusado a usar máscara durante ação feita com ambulantes. O trabalho incluiu a vistoria de 792 quiosques. Em 42 deles, os responsáveis foram abordados, sem multas.

 

No oitavo dia da operação, a Secretaria DF Legal e a Polícia Militar abordaram 357 comércios | Foto: Divulgação/Secretaria de Segurança Pública

 

No geral, no oitavo dia da operação, a Secretaria DF Legal e a Polícia Militar dividiram-se em 16 frentes de trabalho por turno – das 8h às 13h, 13h às 18h e entre 20h e 4h e abordaram 357 comércios. Três deles foram multados e 24 interditados por descumprirem os decretos de combate à covid-19. Os demais envolvidos na operação – Polícia Civil, Detran-DF, Corpo de Bombeiros, secretarias de Mobilidade (Semob), de Agricultura (Seagri) e de Economia (Seec), além da Vigilância Sanitária, do Brasília Ambiental, DER e Procon permanecem executando ações a partir de planejamentos próprios, de acordo com a competência de cada um.

 

Bombeiros

Militares do Corpo de Bombeiros realizaram 23 operações de fiscalização e combate à covid-19. Também em nenhuma delas foi constatada situação de descumprimento às medidas de suspensão vigentes. Vinte e sete viaturas e 133 militares participaram das ações, que ocorreram em São Sebastião, Recanto das Emas, Gama, Ceilândia, Lago Norte e Lago Sul, Santa Maria, SIA, Águas Claras, Núcleo Bandeirante, Asa Norte e Asa Sul, Taguatinga, Candangolândia, Ceilândia Centro, Sudoeste, Sobradinho, Riacho Fundo, área central de Brasília, Guará I, Vila Planalto e Brazlândia.

 

PMDF

A PMDF abordou 314 veículos nos pontos de bloqueio na via Estrutural (DF-095), EPIA Norte e Sul, Planaltina, Samambaia e Lago Sul. Também não foi registrado nenhum desrespeito ao toque de recolher pelos militares. Já a Polícia Civil fez rondas, por meio das delegacias de área, em diferentes regiões. Os policiais abordaram 426 pessoas e 82 veículos.

 

Agentes do Detran estiveram em regiões do Lago Norte, Varjão, Plano Piloto, Gama e Taguatinga. Ao todo, foram 137 abordagens sendo flagrados seis condutores inabilitados, um conduzindo motocicleta com escapamento irregular e 22 infrações diversas. Três veículos foram removidos ao depósito, dois deles possuíam cerca de R$ 15 mil e R$ 8 mil em débitos, respectivamente.

 

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: FREDDY CHARLSON