Governo do Distrito Federal
11/03/22 às 9h38 - Atualizado em 11/03/22 às 9h38

Berçário Buriti é inaugurado para acolher bebês de servidoras públicas

Espaço vai atender até 60 crianças de 6 a 24 meses com área para amamentação, salas de recreação, banheiros e fraldário

Criado para atender crianças de 6 a 24 meses filhas de servidoras públicas, o Berçário Buriti foi inaugurado nesta quinta-feira (10) pelo governador Ibaneis Rocha. O objetivo do espaço, instalado no anexo do Palácio do Buriti, é proporcionar um vínculo afetivo maior entre mãe e filho(a) e também preservar a amamentação, comumente afetada com o término da licença-maternidade.

“Esse é um projeto de valorização dos servidores, uma proposta que vem desde a campanha e que consta do nosso plano de governo”, destacou Ibaneis Rocha na inauguração do Berçário Buriti | Fotos: Renato Alves/Agência Brasília

O Berçário Buriti abre as portas com capacidade para atender até 60 crianças e dispõe de uma estrutura com sala de amamentação, fraldário, refeições, banheiros e toda infraestrutura necessária para o acolhimento das crianças. Durante a cerimônia, Ibaneis Rocha anunciou a intenção do governo em ampliar o projeto.

“Este é um projeto de valorização dos servidores, uma proposta que vem desde a campanha e que consta do nosso plano de governo. O Berçário Buriti facilita a vida das mães que trabalham na administração pública. O projeto para o futuro é que a gente possa estabelecer um berçário como esse em cada uma das regiões do Distrito Federal. Serão pelo menos cinco berçários que a gente espera colocar à disposição das mães que trabalham na administrações dos demais órgãos”, destacou o governador Ibaneis Rocha.

As servidoras interessadas podem se inscrever neste link. Serão destinadas até 20% das vagas às servidoras com deficiência e as regras para inscrição podem ser lidas aqui.

O Buriti é o primeiro berçário institucional do DF e agrega como mais uma iniciativa do Programa de Atenção Materno Infantil (Proamis), lançado em junho de 2021. O programa foca na proteção à maternidade e à primeira infância, atuando em três eixos fundamentais: apoio à gestante, incentivo ao aleitamento materno e proteção à infância.

Um trabalho que o secretário de Economia, Itamar Feitosa, elogia. “Esta iniciativa é uma grande entrega do governo, uma iniciativa importante. Sabemos da dificuldade de criar uma criança nos primeiros meses e, com o berçário, o governo auxilia na criação dessas crianças. É uma ação estruturante e edificante”, avalia.

O Berçário Buriti abre as portas com capacidade para atender até 60 crianças e dispõe de uma estrutura com sala de amamentação, fraldário, refeições, banheiros e toda infraestrutura necessária para o acolhimento das crianças

O GDF dispõe de outras linhas de acolhimento ao servidor público, como a Academia Buriti, cursos e palestras e acompanhamento psicológico. Todo esse trabalho é orquestrado pela Secretaria Executiva de Qualidade de Vida (Sequali), da Secretaria de Economia.

Para a titular da Sequali, Adriana de Faria, uma cidade não funciona sem o trabalho do servidor público. “Não se cuida de uma cidade sem cuidar dos servidores. Não se executa uma política pública sem passar pelos servidores. Este governo fez muito pelos servidores e isso precisa ficar registrado, seja com o plano de saúde e o pagamento da terceira parcela do reajuste, e também com dez decretos que beneficiam os servidores, entre eles o DF Superior e o Clube de Descontos”, reforça a titular da Sequali, Adriana Faria.

Presente à cerimônia, a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha disse que a abertura do berçário é um sonho que se realiza. “Este é o primeiro berçário institucional do DF, de grande qualidade, e que foi pensado com muito amor e carinho nos mínimos detalhes. Como mãe, posso dizer que nenhuma mãe está preparada para voltar ao trabalho após seis meses do parto. Se desvincular de um filho é complicado e as mães poderem ver os filhos no berçário é muito importante”, afirma Mayara Rocha.

Apoio aos servidores

A criação do berçário integra ações importantes do governo para os servidores públicos. Entre elas, é possível destacar a criação do plano de saúde, os cursos da Escola de Governo, o pagamento da terceira parcela do reajuste a partir de abril deste ano, o pagamento da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (Gata) aos servidores da saúde; a redução do interstício a militares, a criação de auxílio-uniforme e aumento do auxílio-refeição para a Polícia Civil do DF e a quitação de precatórios.

Em três anos, 11 mil pessoas aprovadas em concursos foram chamadas. As vagas efetivas e temporárias somam 20 mil nomeações e contratações. Para 2022, o GDF prevê a realização de quase 30 concursos públicos. Isso representa a abertura de 5,5 mil vagas de trabalho imediatas e 10,2 mil para cadastro de reservas.

Ian Ferraz, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger