Governo do Distrito Federal
16/01/23 às 10h00 - Atualizado em 16/01/23 às 10h00

Até 10 de fevereiro, estão abertas as inscrições para o 3º Festival Filmaê

Com financiamento do Fundo de Apoio à Cultura, a mostra competitiva apresenta o panorama do cinema produzido por smartphone, câmera de ação ou tablet

Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

O Festival Filmaê chega à terceira edição em 2023, com realização de 25 a 28 de maio no Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul. As inscrições para participar da mostra competitiva estão abertas até 10 de fevereiro no site. Podem competir ao Troféu Filmaê filmes de brasileiros ou estrangeiros que vivam há pelo menos dois anos no Brasil com até 15 minutos de duração e que tenham tido as cenas capturadas com smartphone, câmera de ação (GoPro) ou tablet.

“Somos um festival de nicho, que tem como característica receber inscrições de filmes feitos com dispositivos móveis. A nossa proposta é democratizar o cinema, porque o celular é uma ferramenta muito próxima de nós e não é preciso ter equipamentos superpoderosos para contar uma boa história. Então, a barreira do equipamento é logo quebrada”, afirma o coordenador-geral do Festival Filmaê, Fernando Campos, que idealizou a mostra ao lado dos amigos Guilherme Pastana e Guilherme Carvalho.

Na primeira edição, em 2018, foram 124 inscrições. Em 2020, a competição recebeu 304 filmes de 24 estados e mais o Distrito Federal. Em seu terceiro ano, o festival espera atingir mais de 300 inscritos. “Já recebemos um bocado de filmes, mas temos expectativa de triplicar. Porque já sabemos que as duas últimas semanas costumam ser uma avalanche de inscrições”, revela Campos.

São aceitos filmes produzidos a partir de janeiro de 2019 e que não tenham sido inscritos anteriormente. Todas as produções devem estar na resolução HD ou superior, no formato widescreen ou na posição vertical, e devem ter duração mínima de um minuto e máxima de 15 minutos, incluindo o tempo de créditos. As outras exigências estão disponíveis no regulamento.

Os filmes serão exibidos na programação do festival e avaliados pelo júri oficial nas categorias Melhor Filme de Ficção, Documentário, Videoclipe e Filme Experimental, e pelo júri popular, que vota no Melhor Filme, Direção, Interpretação, Roteiro, Fotografia e Edição. Os vencedores serão premiados com o Troféu Filmaê.

Além da mostra competitiva de filmes nacionais, a programação do Filmaê conta com a exibição de curtas internacionais, oficinas formativas, rodas de conversa e ambiente de negócios. Patrocinado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC-DF), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), o festival é completamente gratuito.

“Quem está pagando é o Estado. O FAC viabiliza coisas que normalmente o mercado não investiria. É fundamental ter um fomento como esse. Entretanto, o mercado tem que estar aí. Gostaríamos de ter parcerias nas próximas edições também”, destaca Campos.

De acordo com o coordenador-geral, o fundo também é fundamental para a realização de um projeto visto com descrédito pelo cenário cinematográfico pelo formato inovador. “O FAC é fundamental. Nós fizemos a primeira edição com o fundo. Eles acreditaram na nossa proposta, que costuma contar com um olhar enviesado e uma espécie de descrédito, como se não fossem filmes de verdade. Mas há ali histórias que nunca seriam contadas, mas que essa ferramenta [o celular] proporciona”, acrescenta.

Serviço

Inscrições para o 3º Festival Filmaê
Até 10 de fevereiro neste link