Governo do Distrito Federal
4/05/22 às 18h35 - Atualizado em 4/05/22 às 18h35

AgroBrasília vai apresentar novas tecnologias para produtores rurais

Circuitos da Emater-DF vão divulgar inovações na maior feira agropecuária da região, que começa no próximo dia 17 e vai até 21 de maio

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

Após dois anos sem realização presencial em função da pandemia, a maior feira de agronegócio do Centro-Oeste, a AgroBrasília, volta a abrir as portas com muitas novidades aos produtores e ao público em geral interessado no tema. O evento vai ocorrer entre os dias 17 e 21 de maio, no Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, localizado no Programa de Assentamento Dirigido do Distrito Federal (PAD-DF).

Apoiadora da feira, a Emater-DF estará presente em um espaço de 70 mil metros quadrados, com nove circuitos temáticos, apresentando as novas tecnologias que podem ser utilizadas na produção de pequenos, médios e grandes produtores.

Durante o evento, serão apresentadas formas de produção por meio do cultivo protegido e materiais genéticos de hortaliças diferentes e hidropônicas | Foto: Divulgação/Emater-DF

Neste ano, no Espaço da Emater-DF na AgroBrasília, o público vai poder conferir inovações nas áreas de Gestão Ambiental, Piscicultura, Bovinocultura, Avicultura, Saneamento Rural, Floricultura, Fruticultura, Olericultura e Agroecologia e Agricultura Urbana. Neles, serão apresentadas algumas das principais novidades desenvolvidas para aumentar e melhorar a produção de alimentos, assim como para melhorar a qualidade de vida dos moradores do campo e garantir a segurança alimentar da população.

No local, também vai funcionar o galpão das Organizações Sociais e Comercialização, que será dividido em 16 miniestandes de comercialização voltados para pequenos empreendedores rurais, sendo que essa comercialização poderá ser feita de forma individual ou coletiva. Além disso, haverá um estande específico para orientações sobre crédito rural.

“A participação da Emater-DF na AgroBrasília é uma importante oportunidade de aproximação entre o produtor rural e as novas tecnologias e políticas públicas do setor agrícola. A AgroBrasília potencializa as atividades de desenvolvimento rural oferecidas rotineiramente pela extensão rural. A feira é um momento de interação, informação e muita troca de conhecimento que vai impactar diretamente no dia a dia do produtor”, avalia a presidente da Emater-DF, Denise Fonseca.

Para o presidente da Coopa-DF, José Guilherme, a feira, que está na 13ª edição, é a possibilidade de reencontro dos produtores. “A grande palavra deste ano é o reencontro dos produtores com as empresas para conhecer quais são as novas tecnologias, o que elas trouxeram e o que têm para oferecer”, afirma.

“A AgroBrasília é uma feira diferenciada, que proporciona algo de interesse para todo tipo de produtor, do grande ao pequeno e médio. O grande elo de ligação entre todos é o conhecimento. O motivo de existir da AgroBrasília é exatamente o de proporcionar ao produtor o encontro dele com novas tecnologias que são apresentadas”, acrescentou.

Dia de Campo

A AgroBrasília é realizada pela Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), com o apoio da Emater-DF, da Ceasa, da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri-DF), bem como outros parceiros e patrocinadores. A feira serve como vitrine de novas tecnologias para o agronegócio e tem um cenário de referência em debates, palestras e cursos sobre diversos temas relacionados ao setor produtivo.

Os circuitos da Emater-DF vão abordar nove temas específicos e apresentar inovações em áreas como agroecologia e avicultura

Durante o evento, o público tem contato com as melhores novidades em maquinários, implementos agrícolas, insumos, sustentabilidade, genética animal e vegetal, pesquisas e biotecnologias. Em 2019, última feira ocorrida em formato presencial antes da pandemia, cerca de 121 mil pessoas visitaram o local, que contou com 480 expositores e resultou em uma movimentação financeira de R$ 1,2 bilhão.

Este ano, segundo a organização do evento, a expectativa é a de que 90 mil pessoas visitem o evento. No Espaço da Emater-DF na feira, das 9h às 17h, em torno de 100 técnicos extensionistas se revezarão para demonstrar as tecnologias e inovações, assim como o trabalho que a assistência técnica e a extensão rural (Ater) podem proporcionar aos agricultores. De acordo com o coordenador de Operações da Emater-DF, Pedro Ivo, a área da Emater-DF será transformada em um grande Dia de Campo, com diversas atividades internas e paralelas como palestras e apresentações.

“Em todos os dias da feira haverá técnicos da empresa para tirar dúvida dos agricultores e para fornecer informações, além das palestras. Ainda haverá um dia de campo voltado para o Sistema de Integração Lavoura Pecuária Floresta (LPF). Neste ano, retornamos ao formato presencial e nossa expectativa é levar em torno de 2.500 produtores”, disse.

Os circuitos vão abordar nove temas específicos e apresentar as inovações de cada área. Por exemplo, na agroecologia, será apresentada uma nova tecnologia de produção de biofertilizantes e a produção de Plantas Alimentícias não Convencionais (Panc). Na olericultura serão mostradas formas de produção por meio do cultivo protegido e materiais genéticos de hortaliças diferentes e hidropônicas.

Na avicultura, serão mostrados materiais genéticos diferentes no desenvolvimento da nutrição animal e boas práticas na coleta de ovos caipiras, e na bovinocultura serão demonstradas novas plantas forrageiras para a agricultura familiar; no saneamento rural serão apresentadas possibilidades de saneamento para a área rural, como a implantação de fossa séptica e outros trabalhos interligados às boas práticas agrícolas.

Já na piscicultura, o produtor conhecerá novas espécies de peixe, o cultivo de microalgas e o uso de energia fotovoltaica para os aeradores.

“Diante dessa vitrine, muitos produtores se sentem motivados e nós, técnicos da Emater-DF, estaremos lá para ajudar nessa motivação e contribuir com a geração de renda e a melhoria da qualidade de vida, de produção e de comercialização dos produtos”, finalizou a presidente da Emater-DF, Denise Fonseca.

*Com informações da Emater-DF