Governo do Distrito Federal
26/12/22 às 10h15 - Atualizado em 26/12/22 às 10h15

Ação retira 26 toneladas de lixo de residência em Samambaia

Operação Natal de Casa Limpa foi promovida pela administração regional e Vigilância Ambiental

Catarina Loiola, da Agência Brasília | Edição: Rosualdo Rodrigues

Vinte e seis toneladas de lixo foram retiradas de uma casa na Quadra 103 de Samambaia, nesta sexta-feira (23). A ação faz parte do projeto Natal de Casa Limpa, realizado pela Administração Regional de Samambaia e Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival), vinculada à Secretaria de Saúde.

Da residência foram retirados desde objetos velhos e sem uso até animais mortos | Fotos: Ascom/Administração Regional de Samambaia,

Todo o lixo da residência, desde objetos velhos e sem uso a animais mortos, foi retirado por servidores da administração com apoio do Polo Oeste do programa GDF Presente. Em seguida, equipes da Dival fizeram uma limpeza e desratização no local.

O diretor substituto de Vigilância Ambiental em Saúde, Laurício Monteiro Cruz, afirma que trata-se de uma ação de manejo ambiental, com foco em prevenir arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue, zika e chikungunya), além de ser um mecanismo de cuidado à saúde de forma geral.

“Trabalhamos para evitar quaisquer riscos para o morador e as pessoas ao redor. Sabemos que onde há muito resíduo pode haver o acúmulo de roedores, por exemplo, que transmitem a leptospirose pela urina; ou ainda escorpiões, que têm uma picada venenosa e podem causar danos à saúde e até óbito”, esclarece.

Segundo Cruz, assim como em outros casos, o proprietário do imóvel sofre de disposofobia, condição patológica caracterizada pela compulsão na aquisição e acumulação de objetos, mesmo que os itens não tenham utilidade, sejam insalubres ou perigosos.

O acúmulo de lixo era motivo de reclamação constante da vizinhança

O administrador de Samambaia, Claudeci Martins, afirma que o acúmulo de lixo era motivo de reclamação constante da vizinhança. Segundo ele, foi a segunda vez que uma força-tarefa esteve no local fazendo a limpeza completa. “Entendemos que a acumulação é um transtorno psicológico, mas pedimos que a população denuncie e reclame para que possamos fazer algo”, afirma o gestor.

Para uma moradora que prefere não ser identificada, a ação representa alívio. “Essa iniciativa deve ser ampliada, foi um trabalho excelente. Os ratos e as moscas estavam tomando conta da rua. Aqui em casa, pensamos até em nos mudar”, diz ela.

Problema de saúde pública

Antes de uma ação como essa ser executada, existe um trabalho de monitoramento seguido de convencimento do morador, com apoio da Atenção Primária da região que vai prestar algum tipo de assistência necessária.

A população pode solicitar o serviço de manejo ambiental executado pela Dival pela Ouvidoria, pelo número 162 ou pelo site. Também é possível entrar em contato pelo email vigilanciaambiental.df@saude.gov.br e pelo telefone 2017-1343.

*Com informações da Administração Regional de Samambaia